Relato de parto: Tais e Ana Júlia

August 22, 2017

 

Alegria e realização após o nascimento da Ana Júlia 

 

 

Após 1 ano e meio de casados (2 e meio morando juntos),  eu e meu marido decidimos que estávamos prontos para entrarmos na jornada de pais. Ser mãe sempre foi o meu maior sonho, não só o "ser mãe" depois do nascimento do filho, mas passar por todo o processo de tentar engravidar,  ver o positivo do exame de farmácia, acompanhar os 9 meses de crescimento da barriga e entrar em trabalho de parto, percebendo que chegou a hora do melhor presente da vida vir para perto de nós.  


Então, já sabendo que parto humanizado era o que eu queria, pedi para que a doula da minha irmã, que teve seu filho em casa, me indicasse uma médica. Após ligar para algumas indicações dela resolvi tentar primeiro a que a consulta era mais barata. Chegamos no consultório da Dra Lu em maio de 2016 para a primeira consulta e eu me apaixonei por ela.

 

Sabia que ela era a pessoa indicada pra me acompanhar nesta jornada. Porém, após 3 meses sem pílula, minha menstruação cismava em não descer e a minha ansiedade já estava virando tristeza e então a Lu me passou um remedinho para ajudar. Lembro que tomei numa sexta a noite e sábado de manhã, mais precisamente no dia 27/08,  ela desceu. Não veio normal, fiquei poucos dias e no mês seguinte nada de menstruação e também nada de gravidez. Então, na consulta de outubro a Lu me falou que num evento tinha deitado numa cama da fertilidade por mim (não me lembro do nome exato) e fez um trabalho de energia na consulta além de me passar o meu remedinho constitucional. Tomei este remédio no dia 15 ou 16 de outubro. No dia 27 eu resolvi fazer um teste de farmácia, pois estava com meus seios um pouco doloridos e foi uma grata surpresa, apareceu aquele segundo tracinho muito esperado!! Tive um ótimo pré natal, engordei pouco, fiz hidro, pilates, assisti filmes e vídeos de parto.

 

Depois das 30 semanas a ansiedade começou a bater. Eu ainda estava controlada, mas com 35 pra 36 meu marido já estava uma pilha. Enfim, com 39 semanas e 2 dias chegou a hora dela. Era uma terça feira de manhã, dia 27/07/2017, e acordei cedo para fazer o pilates sentindo uma contração dolorida, que eu já havia sentido uma ou duas vezes antes de dormir. Lembrei que a Lu falou que a atividade física acelerava o processo, então resolvi ir para o Pilates. Participei normalmente dos 50 min de aula e voltei pra casa. Logo após o banho senti uma contração mais forte, por volta de umas 11 da manhã, uma daquelas que você já se contorce um pouco. Imaginei que fosse o início do trabalho de parto, porém não avisei a dra ainda pois não estava com nenhuma regularidade. Acabei indo para a casa da minha avó almoçar com um tio que não mora no RJ e estava aqui. No almoço comecei a ter mais contrações ainda com intervalos irregulares,mas bastante incômodas, já não estava conseguindo disfarçar e acabei indo embora e ligando para a Lu para avisar a situação.

 

Ela falou então para eu ir ao hospital fazer uma cardiotocografia para saber se os batimentos da Ana Júlia estavam normais. Cheguei na perinatal às 16 horas, fiz o exame, mandei pra ela e como estava tudo normal, ela orientou que eu voltasse para casa. Saí do hospital às 17 horas. Umas 17:30, a caminho de casa, minhas contrações começaram a ritmar. Fui orientada então a ir para casa, tomar um banho longo de banheira e fazer massagem com óleo de lavanda. Na banheira as contrações engataram demais e após a massagem com óleo eu já tinha contrações a cada 4 min mais ou menos, então liguei pra Lu para irmos para a perinatal.

 

Demos entrada no hospital às  20:10 e eu já estava com 8 cm de dilatação. Tivemos que deixar as malas na recepção e fomos direto para o centro cirúrgico. Assim que entrei naquela sala pedi para entrar na banheira. Estávamos eu, meu marido, minha mãe (que entrou como doula) e a Lu. O resto de sua linda equipe entrava e saia discretamente. Depois de um tempo, fiquei bastante tensa e comecei a achar que não ia aguentar. A Lu carinhosamente e falando com aquele jeitinho baixinho me falou que era normal entrar em pânico ao passar para 7 cm e depois para 10 cm de dilatação e que para 7 eu nem havia sentido mas que provavelmente eu tinha atingido a dilatação 10 e que por isso eu estava nervosa.  

 

 

Mas, acabei solicitando a anestesia quando já achei que não ia aguentar mais as dores na lombar. Como a anestesista Gisela entrou na sala na hora que eu pedi a anestesia e a Lu acredita nessas coisas de "sinal" ela nem argumentou, disse que iria conversar com ela e já voltava. Nisso eu pensei "ela vai me enrolar pra não tomar" rsrs. Discutimos depois o quanto eu tomaria, pois quanto maior a dose mais atrasaria o nascimento. Chegamos ao consenso de tirar apenas 30% da minha dor.

 

Nisso a Lu falou que eu teria que sair da banheira pra tomar a anestesia e , muito relutante eu levantei para sair. Eis que ela diz para eu tomar uma ducha, que eu nem tinha reparado que existia, antes de sair. Aí aconteceu a mágica, que ducha maravilhosa, acabei tendo uma contração logo depois que me fez abaixar de novo e então não levantei mais. Logo depois vieram as contrações de expulsão e a filhota veio pra mim. Momento único e indescritível. Não poderia imaginar um jeito mais perfeito de passar por tudo que eu sempre sonhei. Só quem passa por isso sabe a emoção de se colocar um filho no mundo. Que equipe fantástica!!

 

Arnaldo (pediatra), Gisela (anestesista), Fatima (assistente) e a minha anjinha Dra Lu. Agradeço demais a presença  de cada um deles, que se fizeram fundamentais pra eu me sentir a vontade e tranquila para este momento único na nossa vida. Muita gratidão!!!

 

Tais Lima, Mulher Viva e mãe da Ana Júlia

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Depoimento: Mariana Lima

May 21, 2020

1/1
Please reload

Posts Recentes

October 30, 2020

January 29, 2020

January 2, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags