NOSSAS RAÍZES NÃO MORREM JAMAIS

November 2, 2018

 
À ancestralidade, com reverência e amor

Hoje é Dia de Finados, ou Dia dos Mortos, como é costume se dizer. Mulheres e homens que viveram suas dores, delícias, afetos e desafetos, desafios, vitórias, alegrias e superações mil nesse processo infindável de Vida-Morte-Vida que conduz o despertar da humanidade.

Essa fileira de mulheres e homens que por séculos viveram e morreram abrindo os caminhos para que você pudesse chegar aqui deram-lhe o melhor presente que poderiam: a oportunidade da Vida. E quanta coisa vivida e experienciada nessa guiança das Ordens do Amor, que tudo conhecem a nosso respeito. Por isso, eu lhe convido, especialmente hoje, a reverenciar a memória daquelas e daqueles que passaram pela Vida antes de você, e que já se encontram no outro lado do rio.

Pense na sua ancestral mais querida. Ela teve uma mãe, que teve uma avó, que teve uma bisavó, que teve uma trisavó, e por aí vai. Quem foram essas mulheres? O quanto elas precisaram superar internamente e externamente? Guerreiras, libertárias, amantes, amadas, mães, prostitutas, dançarinas, prisioneiras, comerciantes, curandeiras, bruxas, subjugadas, fortes, caladas, submissas, corajosas, velhas, filhas, sábias, mágicas, lunares, parteiras, perseguidas, renascidas, mulheres vivas. Cada uma delas com suas escolhas, seus erros e acertos. Todas elas divinamente humanas. E esse amor é tão, tão grandioso que atravessa dimensões e gerações. A força de cada uma delas segue pulsando em você como um legado precioso: a consciência de honrar as escolhas que cada uma dessas mulheres fez, se liberando para fazer as suas próprias.

Quando acessamos a nossa cura interior, curamos também - e libertamos - toda a nossa linhagem, feminina e masculina. E seguimos, imensamente gratas e fortalecidas, na energia desse Amor.

E quando a saudade apertar (ela, que é danada), convido você a se conectar com seu coração e curvar seu corpo, em profunda reverência e gratidão, à sua ancestralidade. Do outro lado do rio, tenha certeza de que elas e eles recebem a energia desse amor que, assim como a própria vida, é eternidade. Assim são as nossas raízes.💚

 

---------------------------------------------------------------------------------------

Aho Mitakuye Oyassin - Por todas as nossas relações,
Monique Lago
Jornalista pela PUC-RJ, Terapeuta de Alinhamento Energético, leitora de Cartas Ciganas, coach sistêmica pelo Instituto Internacional Japonês de Coaching, pós-graduanda em Terapias Naturais pela UniPaz-RJ e estudante de Astrologia na Escola Claudia Lisboa de Astro.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Depoimento: Mariana Lima

May 21, 2020

1/1
Please reload

Posts Recentes

October 30, 2020

January 29, 2020

January 2, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags