Síndrome de Burnout e Homeopatia

August 24, 2018

 

 

Você desejou um emprego, e depois de muita dedicação, conseguiu! Você se entregou ao máximo, mas a partir de algum momento as coisas começaram a mudar... e aquela empolgação do início foi substituída por um cansaço infindável, constante fadiga. distúrbios no sono, dores musculares e de cabeça; o bom humor, substituído pela irritabilidade ou frequentes alterações de humor; a memória começou a falhar  mais constantemente e, muitas vezes, o isolamento, a baixa autoestima e a depressão podem ter chegado. Esses podem ser sinais da doença!

 

O trabalho faz parte da natureza humana, e é através dele que o homem constrói e transforma o mundo e a si mesmo. Assim, a execução do trabalho deveria ser prazerosa, entretanto o clima organizacional e emocional podem gerar sofrimento e adoecimento. Com isso, surgem enfermidades como a Síndrome de Burnout - o termo, de origem inglesa, designa disfunção por exaustão de energia. Fortes candidatos são aqueles conhecidos como workaholics, que se identificam bastante com o trabalho, vivem para ele e têm níveis de exigência muito altos.

 

Segundo a OMS, problemas associados à saúde mental no trabalho levam a uma queda de produtividade que resulta na perda de US$ 1 trilhão por ano no mundo. No Brasil, segundo estudo da Escola de Economia de Londres de 2016, a depressão no trabalho fez o país perder US$ 63,3 bilhões - foram 75,3 mil afastamentos pela Previdência Social - o que faz de nosso país o segundo pior do ranking mundial, atrás apenas dos EUA, onde o estresse no trabalho é considerado um problema de saúde pública.

 

PROFISSIONAIS MAIS AFETADOS

 

Em geral, as categorias que envolvem o cuidado com outras pessoas, como:

  • Professores,

  • Profissionais da enfermagem,

  • Policiais,

  • Bombeiros,

  • Médicos.

OBS: Algumas mulheres no pós parto podem desenvolver um tipo de burnout, mas falaremos sobre isso em outro post aqui no blog!

 

SINTOMAS

 

Dentre os sintomas físicos podemos encontrar:

  • fadiga constante e progressiva,

  • dores musculares,

  • cefaleia/enxaquecas,

  • distúrbios do sono e do sistema respiratório,

  • perturbações gastrointestinais,

  • disfunções sexuais,

  • TPM e alterações menstruais em mulheres.

 

Dentre os sintomas psíquicos são possibilidades:

  • falta de atenção/concentração;

  • alterações da memória e lentidão de pensamento;

  • sentimento de alienação, de solidão e de impotência;

  • impaciência;

  • dificuldade de autoaceitação/baixa autoestima.

 

Dentre os possíveis sintomas comportamentais estão:

  • negligência/escrúpulo excessivo,

  • irritabilidade,

  • incapacidade para relaxar,

  • dificuldade na aceitação de mudanças,

  • perda de iniciativa.

 

E dentre os sintomas defensivos podem estar:

  • tendência ao isolamento,

  • negação das próprias necessidades,

  • sentimento de onipotência,

  • compulsão em demonstrar seu próprio valor,

  • perda do interesse pelo trabalho ou até pelo lazer,

  • ironia/cinismo.

 

TRATAMENTOS

 

O tratamento mais comum para a síndrome de burnout envolve antidepressivos e psicoterapia. Mas a Homeopatia pode tratar essa síndrome de uma maneira mais profunda e natural, principalmente associada à abordagem psicodinâmica individualizada e holística, que é minha forma de lidar com os pacientes. A Homeopatia promove a cura de dentro para fora e melhora a energia vital da pessoa tratada, sem sedar ou anestesiar o paciente, ou seja, devolve a pulsão de vida e facilita na transformação da realidade, na gestão da vida.

 

Além disso, é interessante que a pessoa reestruture suas rotinas para melhorar sua qualidade de vida, reduzindo atitudes inflamatórias e aumentando neuro-hormônios que geram bem-estar. Algumas dicas são: atividade física regular, relaxamento, automassagem, meditação, técnicas de respiração, alimentação saudável, lazer e apoio social. “Em alguns casos, a espiritualidade auxilia na resiliência”, diz a Roberta Rossi Grudtner. Além do profissional afetado pelo esgotamento, as empresas podem também adequar o ambiente e a cultura de trabalho visando prevenir casos do tipo.

 

Precisamos falar sobre essa Síndrome no ambiente de trabalho, reconhecer, respeitar e ajudar as pessoas com Burnout, em geral profissionais preciosos! E a estratégia de tratamento vai depender completamente do que o paciente traz, de quem é, sua história, rede de apoio e perspectivas de vida, além da realidade laboral, é claro. É isso gente que amo incondicionalmente, espero ter ajudado com esse conteúdo e coloco-me à disposição para ajudar mais presencialmente.

 

Luciana Lopes Lemos

Mulher Viva, Mãe, Médica, Ginecologista, Terapêuta Holística, Obstetra, Humanizada, Homeopata, alguém que já teve Burnout.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Depoimento: Mariana Lima

May 21, 2020

1/2
Please reload

Posts Recentes

January 29, 2020

January 2, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags